A fotopintura de Laura Lucia Sanz

nu3

nu1

nu2

Cenas da intimidade de um casal são registradas fotograficamente e logo se misturam à tinta, assim nasce o trabalho de Laura Lucia Sanz. Natural de Bogotá, a artista que hoje reside em Nova York utiliza a pouco lembrada técnica da fotopintura (que no Brasil tem como expoente os trabalhos de Mestre Júlio) modificando esteticamente fotos de sua vida privada com a inserção de pinceladas carregadas. A massa rosa que vai afogando os amantes é composta por variações de luminosidade, delimita membros e vai se misturando. Os rostos perdem sua identidade em busca de alívio físico pertinente à lembrança. A série se constrói como um jogo de despersonificação estabelecendo a universalidade dos corpos, recurso presente em diversas obras como nos soldados de “Os Fuzilamentos de 3 de Maio de 1808” de Goya. Subtraindo informações, o trabalho orbita para a formação de lacunas, abrindo espaço para outras reações sensoriais. Nomes são excluídos, pele e carne. A memória em meia fase quer doer menos.

nu5

nu6

nu7

nu8

nu9

nu10

nu11

nu12

nu13

nu14

Para saber mais sobre a artista, acesse.

Share Button
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

EDU

Eduardo Fenato, 22 anos, estudante de História da Arte.

Comments on Facebook