Red Bull Sounderground traz músicos internacionais para tocar de graça no metrô do Rio

sounderground-red-bull-415x260

Em agosto a festa vai ser no metrô carioca. O festival de músicos de metrô Red Bull Sounderground traz músicos de Londres, Moscou, Paris, Berlim, Montreal e Nova York, além de três atrações cariocas. Comum nos trens de Nova York, Berlim e Londres, os músicos de metrô agora estão também nas estações cariocas. Em agosto começa o Red Bull Sounderground, 3o Festival Internacional de Músicos de Metrô, que traz ao Brasil 12 atrações de oito países para tocar de graça, para quem estiver pelas estações de trens do Rio de Janeiro.

São 48 apresentações gratuitas de atrações internacionais de cidades como Barcelona, Nova York, Londres, Paris, Montreal, Moscou e Berlim, além de três artistas do Rio de Janeiro. Com diferentes influências e estilos musicais, alguns desses músicos internacionais foram ovacionados durante a passagem por São Paulo em outras edições do festival e seguem como artistas independentes se apresentando nas estações de metrô de suas respectivas cidades. De 12 a 15 de agosto, durante o dia e a noite, espera-se que cerca de 1,2 milhão de pessoas confiram os shows durante todo o festival.

Red Bull Sounderground

“O Brasil não tem tradição de músicos de metrô e a proposta de realizar o evento numa metrópole como o Rio de Janeiro é atrair a atenção para uma iniciativa que busca incentivar a abertura deste espaço”, diz Marcelo Beraldo, idealizador do festival. “Além do que, se pensarmos em abrangência e audiência, estamos falando de um dos maiores festivais de música do mundo”.

O metrô do Rio de Janeiro, que sedia o festival, se prepara para manter a música pelas estações cariocas: “O Red Bull Sounderground será o primeiro passo para levar uma experiência musical aos usuários do MetrôRio. Novas intervenções serão desenvolvidas, organizando o espaço para apresentações musicais nas estações”, diz Andre Salles, diretor de marketing do MetrôRio.

Sobre o Red Bull Sounderground:
O festival está na sua terceira edição, as outras duas aconteceram em São Paulo em 2010 e 2012, somando 77 músicos de nove países. A ideia do festival surgiu durante a viagem em que Marcelo Beraldo, criador e diretor do projeto, deu a volta ao mundo. Depois de passar por mais de 16 cidades entre Europa, Ásia e Américas, como Londres, Paris, Barcelona, Lisboa, Moscou, Hong Kong, Pequim e Xangai, e circular por metrôs do mundo todo, veio com a ideia. “Durante minha viagem conversei com gerentes e diretores de metrô de várias cidades. Segundo eles, o público gosta de ouvir música enquanto espera pelo trem e isso chega até a ser associado com uma maior sensação de segurança”, diz Beraldo.

O festival tem apoio institucional da Concessionária MetrôRio e foi contemplado pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – ISS.

Serviço:
Red Bull Sounderground – III Festival Internacional de Músicos de Metrô
De 12 a 15 de agosto, das 11h às 13h e das 17h às 19h.
Nas estações Siqueira Campos, Carioca, Central, Pavuna, Uruguai e General Osório.
Confira a programação aqui.

Da Assessoria

Share Button

The Present por Jon Jacobsen

jon1

Essa incrível série criada pelo fotográfo chileno Jon Jacobsen é dedicada a explorar uma série cinematógrafa, intitulada como The Present. Estas imagens espectrais e distorcidas apresentam um indivíduo que parece estar em um pesadelo de Fuseli, cercada por seu próprio inconsciente que se infiltra no mundo real para acabar fundindo-se com ele em uma imagem estranha e fantasmagórica.

A ideia de fazer as imagens em GIF é para adotar o tormento e transe, da liberdade do movimento e do aprisionamento, distorcendo ainda mais os corpos para criar um efeito fantástico. É uma mistura do visionário com o de todos os dias, desde que você também possa ver os objetos das imagens ainda com vida, alguns deles inofensivos, como um buquê de flores, e alguns um pouco mais macabros.

jon2
Continue Reading

Share Button

A natureza sombria de Juliette Bates

bates1

A fotógrafa Juliette Bates fez uma série incrível de fotos bastante peculiares, intitulado “Histoires Naturelles”. A predominância do preto e branco, e também de aves e crânios, que encontramos muito em suas fotos: sua série é cheias de mistério e originalidade, e deixando claro seu fascínio pelos animais. Nesta série, Juliette usa diversos tipos de animais, incluindo várias raças de aves, insetos, borboletas, criaturas aquáticas e terrestres.

É visível um clima sombrio e de passagem do tempo refletida nessa obra que depende fortemente de tons de azul e cinza. O esquema de cores reflete a presença de mortalidade. Apesar dos temas recorrentes de morte, também há um vislumbre de imortalidade anexado às imagens.

bates10

bates9
Continue Reading

Share Button

Mixtape: Músicas de Ukulele, Banjo, Gaita e Guitarra

Untitled-1

Músicas de ukulele, banjo, gaita e guitarra: algo parecido com Dylan nos filmes. Aquela utopia musical ideal para se ouvir em dias de sol ou em dias de chuva com um copo de café do lado e uma tragada de tabaco no pulmão.
Uma reunião do Belle and Sebastian com o Bob Dylan, Andrew Bird, Arcade Fire, Ricky Nelson, Cat Power, Feist, Bon Iver, Devendra Banhart, Sufjan Stevens, Smiths, muita mágoa, amor e música boa.
Como diz a canção: “Se eles seguirem você não olhe para trás; como Dylan nos filmes. Sozinho… Se o seguirem não é o seu dinheiro que eles querem, garoto, é você!”

Músicas de Ukulele, Banjo, Gaita e Guitarra by Raphael Maia on Mixcloud

Share Button

Incrível adaptação de “Donnie Darko”, em 8 bits

donnie1

Mesmo sendo um personagem bidimensional, Frank o coelho continua a ser uma visão inquietante. Com tamanha admiração pelo filme, a CineFix homenageia o clássico cult Donnie Darko na última parcela de 8 bits do Cinema. Com referências dos anos 80, especialmente em jogos japoneses, com três minutos de duração clipe destaca alguns dos momentos mais emblemáticos do filme, incluindo o primeiro encontro fatídico do protagonista com Frank e a queima da casa de Jim Cunningham. O resultado é incrível e nos faz a mão coçar, desejando ter um controle remoto para controlar o jogo. Separamos aqui alguns screenshots dos nossos momentos favoritos, e o vídeo também.

donnie2

donnie3
Continue Reading

Share Button

Marais e a simplicidade elegante por Lorran Augusto

LORRAN6

CAMPANHA4

É sempre muito bom encontrar talentos nacionais que trazem algo novo e fresco para o cenário da Moda, e novamente fomos positivamente surpreendidos pela nova coleção do Lorran Augusto.

Já mostramos o trabalho dele aqui, e dessa vez sua nova coleção é invadida por tons pastéis e suavidade. A inspiração veio do bairro Marais, em Paris, que contagiou Lorran após uma temporada morando na França, resultando em cores que remetem aos clássicos Macarons. A simplicidade elegante da moda francesa é combinada com uma boa construção de modelagens e shapes clássicos. Lorran também mistura materiais diferentes entre si – como neoprene, jaquard, sarja resinada, jérsei, chiffon e seda com foil – com maestria, criando um resultado harmônico. O resultado é feminino, delicado, simples e remete a um romance de verão em Paris. Na estamparia foram explorados prismas e imagens geométricas (assinatura criativa de Lorran), com lírios quebrando a dureza das linhas retas.

Continue Reading

Share Button

Paradoxon por Guilherme Benites

001

Criado pelo fotógrafo de moda Guilherme Benites o projeto Paradoxon é composto por uma série fotográfica e um vídeo conceitual baseado no Yin e Yang, conceitos básicos do Taoismo. As duas ideias que expõem a dualidade entre tudo o que existe. Representam as duas forças opostas e complementares que se encontram em todas as coisas. Yin é o feminino, o escuro, a noite, o frio. Yang é o masculino, a luz, o dia, o calor. Juntos eles compõem a totalidade equilibrada do mundo em duas polaridades.  Nessa filosofia o oposto daquilo que se pensa ser a verdade ou o contrário a uma opinião consentida como válida é um paradoxo.

Continue Reading

Share Button

A medusa de street art da Versace no Havaí

ver2

ver3

ver4

Se você sabe um pouco da história da moda deve saber que os grandes nomes da indústria da alta costura cultivam uma relação com a street art desde o final dos anos 80. Com a Versace não é diferente – para comemorar a abertura do seu novo empreendimento no Havaí, a marca usou do trabalho do grafiteiro mundialmente famoso, Tristan Eaton para produzir um mural em larga escala da sua icônica logo de medusa. O resultado é surpreendente e fascinante!

Share Button