Pintura corporal de Wernest

Wernest

Wernest

Pouco se sabe sobre o artista Wernest, nem ao menos se esse é mesmo o seu nome ou um pseudônimo, no entanto é impossível passar despercebido por uma arte tão vigorosa e vibrante como essa e se manter inerte. O artista polonês tem sido destaque no DeviantArt e Tumblr com essa série de pinturas corporais que buscam retratar elementos da fantasia e da mitologia, em sua obra nota-se referências estéticas da festa mexicana do Día de Los Muertos, a arte corporal de tribos africanas e até mesmo traços de religiões do sudeste asiático como a hindu – pintadas com tinta neon e posteriormente fotografadas, a série encanta pela beleza transcendental.

Wernest
Continue Reading

Share Button

A abstrata pintura líquida de Pery Burge

Pery Burge

Pery Burge

A britânica Pery Burge foi, antes de qualquer coisa, uma curiosa, falecida em fevereiro desse ano, a artista que abandonou os pincéis para se dedicar a uma arte mais explorativa e experimental que envolve água, diversos tipos de tintas e fotografia, teve um pé nas artes e outro na ciência, a britânica examinou os padrões de dispersão da tinta na água, fotografando em seqüência as espirais que se formam no processo. Ela então tomou nota de como várias cores se comportam quando usadas em conjunto, os tipos de formas poliédricas que podem resultar, as estruturas internas e o efeito das velocidades dos fluxos de tinta que nada mais são do que imagens que refletem fenômenos naturais. Mas nenhuma dessas abstrações afeta a simplicidade de seu método de criação ou os incríveis resultados dele. Confira:

Pery Burge

Pery Burge
Continue Reading

Share Button

A street art vibrante e multidisciplinar de Okuda

Okuda

Okuda

Okuda

Oscar San Miguel Erice, mais conhecido como Okuda é um talentoso artista madrilenho formado em Belas Artes pela Universidade de Madrid. Sem se prender a uma única mídia, seu trabalho rompe as fronteiras da simples arte de rua e se transforma em uma vigorosa arte multidisciplinar, desde seus conhecidos graffitis em fábricas abandonadas à inusitadas intervenções, que vão de instalações em meio a florestas, praias e centros urbanos e periféricos. Estampas geométricas multicoloridas e edifícios se misturam com corpos cinzentos e formas orgânicas. Estes poderiam ser classificados como Pop Surrealismo com uma essência clara da rua. Os trabalhos muitas vezes levantam contradições sobre o existencialismo, o universo, o infinito, o sentido da vida, a falsa liberdade do capitalismo, e mostram um claro conflito entre a modernidade e as nossas raízes.

Okuda

Okuda
Continue Reading

Share Button

As contradições da adolescência na fotografia de Petra Collins

raeven92

strangemagic1

strangemagic2

Se você é daqueles que costuma folear revistas de moda, certamente já deve ter se deparado com alguma capa ou algum editorial da jovem fotógrafa canadense Petra Collins, que ostenta seus poucos vinte anos e muito talento. Ela já produziu material para Vogue, Vice, Garage, Rolling Stones e tantos outros. Fugindo da frivolidade, ela mantém um coletivo de artistas femininas intitulado TTheArdorous, onde junto com suas colegas busca o fim da ditadura ao corpo feminino (uma foto sua recentemente foi censurada no Instagram pela política de nudez do aplicativo), esse engajamento está presente também em seu trabalho, como em sua recente série The Teenage Gaze, onde explora com um olhar fresco a sexualidade e a identidade da juventude, mostrando toda a efervescência hormonal característica da puberdade, suas contradições e efemeridades em registros honestos.

school21
Continue Reading

Share Button

Os closes de cadáveres humanos na fotografia de Mia Jane-Harris

Mia Jane-Harris

Fascinada pelo sombrio e pelo mistério que envolve a morte, a artista, designer e taxidermista britânica Mia Jane-Harris consegue dar um frescor a essa temática tão batida. Em sua série Beaultiful Corpse, cria deslumbrantes fotografias em closes de amostras médicas de cadáveres humanos, o resultado é sensacional, um visual único que mais se parece com obras conceituais de arte abstrata. É interessante observar os detalhes despercebidos do próprio corpo-humano com uma outra percepção, num entendimento que busca retratar a beleza na decomposição da matéria, saindo do campo científico e da própria zona de conforto do tema soturno.

Mia Jane-Harris

Mia Jane-Harris
Continue Reading

Share Button

Ilustrações de Natalia Sanabria

Natalia Sanabria> já é um pouco conhecida pela blogosfera e pelo Tumblr, estudante na Costa Rica ela mantém uma conta no flickr com ilustrações, pinturas e fotografias, sua arte é encantadora, principalmente pelo cuidado com os detalhes de cada desenho e pelo uso vibrante da aquarela que dá a sua obra um tom levemente inclinado às ilustrações de moda.

nat1

nat2

nat3
Continue Reading

Share Button

O vermelho inquietante de Maria Coma Giner

ver8

ver9

Formada em Belas Artes e Fotografia, a catalã Maria Coma Giner possui um trabalho bastante singular, a grande maioria de suas fotografias apresentam em determinado ponto uma pigmentação vermelha, a coloração viva toma conta da obra e acaba por ser o centro de sua narrativa – que de forma conceitual busca transmitir inquietação em contraste com a leveza, em leituras que a fotógrafa têm de outros profissionais fotógrafos e uma gama de outras inspirações.

ver10
Continue Reading

Share Button

Posters de clássicos do cinema dos anos 80 em ilustrações inspirados em vitrais

a4f069128d7bd60cfa880314dba57c47

1b66c03c07c7e267159e991919981bd7

998286de6648212feece7508f9172a8a

A dupla de ilustradores italianos de codinome Van Orton Design, criaram uma série de cartazes de clássicos do cinema dos anos 80, com inspiração nos vitrais – um tipo de vidraça composta por pedaços de vidro coloridos, que foram utilizados na ornamentação de igrejas e catedrais. A série traz filmes como Os Goonies, De Volta para o Futuro, Robocop, O Exterminador do Futuro, em incríveis ilustrações bem coloridas.

Continue Reading

Share Button