MIXTAPE ESCANDINAVA

mixtape

A Escandinávia tornou-se um celeiro para a música pop, desde a explosão de bandas como ABBA, A-ha e companhia não se via tantas bandas boas surgidas na região. E a nossa mixtape desse fim de semana vem de lá, das terras frias do norte da Europa, dos países Suécia, Noruega e Dinamarca. Fizemos uma seleção com alguns dos artistas já consagrados como The Knife, Royksopp, Lykke Li, Robyn e artistas promissores como Kate Boy, MØ, Elliphant e Icona Pop. Dá o play e vem curtir com a gente.

Mixtape Escandinava by Felipe Augusto on Mixcloud

Conheça o duo pop da Somália Faarrow

faarrow

As irmãs Iman e Siham Hashi formam o duo Faarrow, adoráveis ​​cantoras pop da Somália que agora vivem em Los Angeles. Faarrow é uma combinação do nomes árabes da dupla. As traduções são “fé” (Iman) e “flecha” (Siham). Com referências africanas, elas trazem cor e energia em suas batidas, e no visual. Sua música é uma versão mais ousada do Destinys Child, que lembram MIA e Santigold.

Escapando da guerra civil em seu país, as meninas deixaram sua cidade natal ainda novas, e foram morar no Canadá, agora na America elas investem em sua carreira musical. As irmãs são as primeiras mulheres Somalis a conseguir um grande contrato numa gravadora, e com uma crescente carreira musical, se tornando porta-vozes para a crise contínua em seu país. Com o single Say My Name lançado a algumas semanas, as meninas estão mostrando a que vieram.

Fotografias de ícones da cultura pop retratadas por crianças

april5

Série fotográfica criada pela fotógrafa April Mackiborka, onde crianças são transformadas para simular fotografias famosas de ícones da cultura e da música norte-americana como Marilyn Monroe, David Bowie, Jimi Hendrix, Elvis Presley, Tina Turner e Madonna. Estes retratos tem o objetivo de colocar um toque lúdico em fotografias famosas que ajudarão a definir e alterar o nosso mundo de hoje.

april2
Continue Reading

Kyogi: pop garage aos 15 anos

kyogi

 

Kyogi é o projeto de Sean, um garoto de 15 anos da cidade de Totnes, na Grã-Bretanha. Com muito tempo livre e espírito autodidata, aprendeu a tocar bateria e guitarra desde os 9, e produz música eletrônica desde os 12. Seu repertório de sonoridades e influências não tem fim: “kyogi” traduz-se como mentira ou inverdade, referência e homenagem ao álbum Untrue, do Burial. Apesar de morar em uma cidade um pouco pacata e desconhecida, seu nome tem rodado a internet e as melhores rádios da Europa em comparação à outros como Flume, Bondax e Ryan Hemsworth. Com pouquíssimas músicas lançadas, o garoto deixa sua marca distinta entre a cena garage que tem surgido na região. Produzindo sintetizadores leves e suaves, a energia do 2-step dá um twist inesperado em produções como o remix de “U Got It Bad” do Usher, ou o lento breakdance com o vocal 90′s de “Carousel”. Em tour há apenas 3 meses, o Kyogi recentemente lançou um remix para a música “Valentine” do DE$iGNATED, e promete um EP e muitas outras colaborações ainda pra esse ano. Para acompanhá-lo, siga a sua página do Facebook e do Soundcloud, com downloads gratuitos de suas faixas.

Originalidade e energia no house de Karma Kid

karma-kid-2

Sam Knowles AKA Karma Kid tem apenas 18 anos e faz parte da (nova) nova geração de produtores britânicos de bass music como Disclosure e Bondax. Em atividade a apenas 3 anos, suas produções trazem um frescor ao house misturando elementos de garage, 2step, dubstep e RnB. Apesar de possuir apenas um EP e alguns poucos remixes, o Karma já foi elogiado massivamente na BBC Radio e participou de inúmeros guest mixes em rádios on-line (como essa mixtape para a revista Mixmag).

Seu último single “In My Arms” recebeu um vídeo que é uma síntese do que o seu som representa: energia, textura e uma incrível sinergia entre som, cor e movimento. Atualmente em colaboração com os amigos Bondax (também na faixa dos 20 anos, donos do selo musical Justus, da qual o Karma Kid faz parte), Armeria e Star Slinger, confessa que a demora no seu processo de criação se deve por acreditar em “qualidade acima de quantidade”. Com apenas 18 anos e um repertório assim, é um dos nomes atuais da música que se faz necessário acompanhar, sem chances de desapontar.

Pop e soul nas produções do MNEK

288318_158623690878565_112418082165793_321413_2864143_o

 

MNEK, ou Uzoechi Osisioma Emenike, é um produtor musical britânico de descendência nigeriana de apenas 18 anos. Tendo começado a escrever e produzir desde os 10 anos, e com contrato assinado com a EMI desde 2009, seu som traz uma vibrante revigoração ao RnB e pop inglês. Ele já produziu e remixou gente como Rudimental, Disclosure, A*M*E, Tinie Tempah e tem como inspiração artistas como Janet Jackson e Whitney Houston. Apesar de ter focado seus últimos trabalhos em produção, o MNEK promete escrever e cantar suas próprias canções nos próximos projetos. Suas músicas tem uma leve pegada no UK garage abordado de uma forma mais pop, com vocais inspirados no RnB dos anos 90. Para ouvir mais de suas produções, é só checar sua página do Soundcloud e Facebook.

O Glam Urban de Lorde

Se você ainda não ouviu falar de Ella Yelich-O’Connor  (aka Lorde), de play na mixtape abaixo e aproveite os melhores 16 minutos do seu dia. Endossada por Diplo, Grimes e Perez Hilton, a jovem de 16 anos nascida na Nova Zelândia é a nova queridinha no cenário musical e a aposta da Universal Music, que acaba de assinar contrato com ela. Misturando urban, pop e uma pitada de eletro, suas composições agradam gregos e troianos e seu vocal – uma Birdy mais hype – é a cerejinha que faltava para o sucesso, isso pode ser notado pelas milhares de reproduções nas sete faixas disponíveis no perfil da bonita no Soundcloud, sendo que cinco delas integram seu primeiro EP intitulado “The Love Club” lançado no começo do ano. Seu primeiro single “Royal” teve seu clip lançado esse mês com direção de Joel Kefali e mostra todo o ócio criativo da nossa juventude.

Se você assim como eu adora um cover, não deixe de ouvir as versões de Lorde para “Use someboby” e “Mama Do